24/03/2014 - 15:46

Lançado projeto Minha Primeira Carteira de Habilitação

Por apresentar maior taxa de acidentes com vítimas fatais, zona Sudeste será a primeira contemplada

Autor: Lyza Freitas

Créditos: Gabriel Tôrres/CT Solenidade na Prefeitura Solenidade na Prefeitura

Foi lançado nesta segunda (24) pela Prefeitura de Teresina, em parceria com a Secretaria Municipal de Juventude (Semjuv), o Projeto Minha Primeira Carteira de Habilitação, que garante a obtenção da primeira Carteira Nacional de Habilitação, nas categorias A e B, a jovens de 18 a 29 anos que possuem baixa renda.

O projeto deve ser realizado em etapas e esta primeira vai atender à população domiciliada na zona sudeste de Teresina, disponibilizando no primeiro momento 50 vagas por ano, sendo 5% delas reservadas a pessoas com deficiência aptas a dirigirem. Somente jovens cadastrados no CadÚnico, que sejam estudantes e tenham concluído o ensino médio na rede pública podem se inscrever no Projeto. As inscrições acontecem até o dia 04 de abril das 8h30 às 13h na sede da Semjuv, localizada na avenida Frei Serafim, número 2425, centro, Teresina.

Allan Cronenberger, secretário da Semjuv, explica que a região sudeste foi a primeira a ser contemplada pelo Projeto por registrar o maior número de acidentes de trânsito com vítimas fatais em Teresina.

“Em uma média de 140 acidentes por mês que registrados em Teresina, cerca de 30% acontecem na região sudeste, onde também contabiliza o maior número de jovens com veículos apreendidos sem CNH. A escolha da região é uma oportunidade desses jovens se regularizarem, uma vez que não é barato hoje em dia para se tirar uma carteira, custa em torno de R$ 1.300, e de trabalharmos a prevenção de acidentes no trânsito, para fazer com que esses dados de acidentes diminuam”, justificou. Atualmente, na região do Grande Dirceu está concentrada aproximadamente 20% da população da capital, de acordo com a Prefeitura.

O prefeito Firmino disse que o projeto deve ter o custo médio de R$ 1 mil sendo investidos em cada jovem. O investimento inicial é de R$ 50 mil com a intenção de que ele seja massificado. “É um projeto-piloto, inovador, que além de tudo qualifica jovens a terem melhores comportamentos e formação, e ainda ajuda na inserção do mercado de trabalho”.