13/09/2017 - 09:13

Vereador Paulo Roberto confirma pré-candidatura e critica Ciro

Dr. Pessoa também foi convidado para ser candidato pelo Solidariedade

Autor: Manoel José

O vereador Major Paulo Roberto (SD) confirmou em pronunciamento na Câmara Municipal de Teresina que será candidato a senador ou a deputado federal nas eleições de 2018. Segundo o parlamentar, o Solidariedade ainda convidou o deputado estadual Dr. Pessoa (PSD) para ser candidato a governador. Além dele, a primeira-dama de Parnaíba, Adalgisa Moraes Souza, esposa do prefeito Mão Santa (SD), foi convidada a ser a vice na chapa.

“Convidamos o deputado Dr. Pessoa para se filiar ao Solidariedade. O povo quer opções para poder mudar. Convidamos também para a vaga de vice na chapa a primeira-dama Adalgisa. E eu serei candidato a deputado federal ou senador com apoio do partido. A tendência é lançar esses nomes”, disse o vereador.

De acordo com o vereador, os dois senadores que estão saindo do mandato não representam de forma correta o Estado do Piauí. Ainda de acordo com ele, há uma lacuna no Senado que precisa ser preenchida por pessoas corretas e dignas de representarem o povo do Piauí.

O vereador ainda aproveitou para criticar a senadora Regina Sousa (PT) e o senador Ciro Nogueira (PP), envolvido na Operação Lava Jato. Major Paulo Roberto ainda criticou o silêncio da imprensa piauiense que não veicula, da maneira correta, segundo ele, as denúncias que envolve o senador progressista.

“Estamos observando uma lacuna muito grande no Senado. Os dois senadores que estão saindo deixaram a desejar. Um senador virou réu e a outra não quer sair. São várias denúncias e não vemos os veículos de comunicação falar nada sobre isso”, criticou.

O parlamentar destacou que pretende entrar na disputa com apoio da Polícia Militar, categoria que ele representa na Câmara Municipal. Major também lembrou que o Solidariedade tem crescido no interior do Estado e que a tendência é chegar a pelo menos 220 municípios.

“Estamos em mais de 186 municípios. Com apoio da Polícia Militar, queremos colocar nosso nome em pelo menos 220 municípios do Piauí. Quando o povo quer, o povo elege. Não justifica uma eleição para o Senado com dois ou três nomes apenas. Não tenho medo do poderio econômico deles. Nós temos propostas, nós vamos para o interior debater com o povo”, finalizou.


Fonte: Diário do Povo