09/03/2015 - 17:52

Manifestação do dia 15 é financiada por R$ 1 milhão no Piauí

Políticos estariam injetando dinheiro no ato; Empresário amigo de FHC banca protesto nacional.

Autor: Redação Capital Teresina

Créditos: Acervo Pessoal Lemann e FHC; empresário financia manifestações? Lemann e FHC; empresário financia manifestações?

Em Teresina, políticos da oposição ao governo Dilma, derrotados na última eleição, estão financiando a manifestação pelo impeachment marcada para o próximo dia 15, segundo informações de bastidores.   Segundo fontes que preferiram não se identificar, cerca de R$ 1 milhão foram pagos pela confecção de 100 mil camisetas,  encomendadas para a manifestação por esses políticos. Centenas de adesivos e panfletos também foram impressos sob encomenda  pelas mesmos mandantes para o ato.

A fonte pede sigilo e não declina nomes dos financiadores, que não admitem que estão injetando dinheiro, mas garante que o material já está pronto para ser distribuído. Pelas redes sociais manifestantes afirmam que não têm ligações com partidos e políticos. 

Na Assembleia Legislativa, alguns deputados afirmam que representantes de grupos fizeram convite pessoal aos parlamentares. Entre eles, o deputado Rubem Martins (PSB), que afirmou não conhecer as pessoas que o convocaram mas garantiu que vai comparecer ao ato do dia 15 em frente à Assembleia. Sobre o financiamento, Martins disse não saber nada a respeito.   

A coordenação do PT no Piauí se manifestou sobre a motivação política da convocação e questiona a legitimidade do ato, apoiado financeiramente por políticos derrotados. " Nós sabemos que os partidos da oposição estão insuflando essa manifestações com intuito golpista. Defender o impeachment de uma presidente eleita legitimamente e sem o envolvimento direto em denúncias de corrução é golpe", disse o secretário do PT estadual, Sérgio Henrique. 

Empresário da Ambev patrocinaria impeachment?

De acordo com matéria publicada hoje no site Brasil 247,  a campanha  pró-impeachment seria articulada com o patrocínio do homem mais rico do Brasil, o empresário Jorge Paulo Lemann, dono da Ambev.  Lemann negou envolvimento político ao ser questionado quando uma investigação descobriu que o domínio vemprarua.com.br,  que convoca as manifestações e que originou a página no Facebook , está registrado em nome da Fundação Estudar, do empresário.

O movimento vemprarua patrocinou os primeiros protestos no ano passado repercutindo a convocação de Aécio Neves após a derrota eleitoral para Dilma Rousseff. Naquela ocaisão descobriu-se o patrocínio do grupo empresarial por trás do movimento. Jorge Paulo Lemann escusou-se de responsabilidade e disse que era apolítico e que não se envolvia em política. 

Mas a declaração do bilionário se tornou insustentável quando, mais recentemente, sua influência foi escancarada. A Fundação de Lemann patrocina não só os posts de convocação para os protestos, contra Dilma e contra o PT, com posts pagos para atingir o maior número possível de pessoas, como também organizou o recente  boicote dos caminhoneiros. A intenção, segundo destacou o Brasil 247 era tão somente enfraquecer o governo Dilma.

O empresário silenciou sobre o assunto e sua Fundação desativou o domínio vemprarua.org.br Em substituição foi criado o vemprarua.net, porém sem identificação do responsável, mas que direciona para a página do movimento pró-impeachment.

Em contraposição ao movimento pró-impeachment, integrantes de movimentos sociais e sindicais estão se mobilizando para outra manifestação nacional marcada para o dia 13 próximo, antecipando-se ao ato anti-Dilma, em apoio ao governo e contra o que chamam de tentativa de golpe da oposição.