17/07/2017 - 17:31

Membros do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa tomam posse quarta-feira

Serão empossados 20 membros titulares

Tomarão posse, nesta quarta-feira(19), às 10h30, os novos membros do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (Cedipi). A solenidade será realizada no auditório da Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (Sasc). Serão empossados 20 membros titulares representando o poder público e a sociedade civil para o biênio 2017-2019.

Escolhidos mediante eleição entre os membros, a presidência do Cedipi ficará a cargo de Anfrísio de Moura Neto, representante da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Piauí (FETAG), e a vice-presidência com a representante da Sasc, Maria da Cruz Oliveira Sousa. “Um dos maiores desafios do Cedipi será implantar conselhos nos municípios piauienses que ainda não têm e implementar os já existentes”, afirmou Maria da Cruz.

Também compõem o Conselho representantes da Secretaria Estadual de Educação(Seduc); Secretaria de Estado da Saúde(Sesapi); Secretaria de Estado de Justiça(Sejus); Secretaria de Estado de Segurança Pública; Secretaria de Estado da Cultura; Universidade Estadual do Piauí(Uespi); Defensoria Pública do Piauí; Agência de Desenvolvimento Habitacional(ADH); Fundação dos Esportes do Piauí(Fundespi); Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Piauí(OAB-PI); Sindicato dos Trabalhadores em Educação(Sinte); Pastoral da Pessoa Idosa Padre Carvalho; Associação Nacional de Instrução; Associação Norte Brasileira de Assistência Social(Anbeas); Ação Social Arquidiocesana(Asa); Pastoral da Pessoa Idosa-CNBB; e da Associação dos Fiés de Santa Joana D’arc.

Sobre o Cedipi

O Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa(Cedipi) é órgão deliberativo colegiado de composição paritária, integrado por representantes das entidades governamentais e não-governamentais, previsto na Lei 5.244 de 13 de junho de 2002.

Tem como finalidades, dentre outras, promover e defender os direitos da pessoa idosa; definir a política de atendimento integral dos direitos da pessoa idosa, estabelecendo diretrizes básicas e fixando prioridades para consecução das ações propostas; acompanhar, propor e fiscalizar ações e o desempenho dos órgãos e entidades governamentais e não governamentais que atuem nessa área.


Fonte: Assessoria de Imprensa