versão para impressão

Matéria publicada: 15/10/2017 - 15:35

Piauí é 7º lugar no Brasil em risco de morte na adolescência

Teresina aparece como a oitava capital com risco de morte para crianças e adolescentes

Autor: Luciano Coelho

O Piauí é o sétimo estado do país que apresenta o maior risco de assassinatos de crianças e adolescentes, segundo um relatório divulgado pela Fundo das Nações Unidas para a Infância
(UNICEF), da Organização das Nações Unidas (ONU). Teresina aparece como a oitava capital com risco de morte para crianças e adolescentes. Das dez capitais mais violentas para adolescente, sete estão na Região Nordeste.

Foto: Divulgação/Internet

Os dados da pesquisa analisam os homicídios ocorridos em 300 municípios com mais de cem mil habitantes com adolescentes entre doze e dezoito anos. E foram divulgados por meio da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e Adolescente e o Programa de
Redução de Violência Letal.

Para cada 1.000 adolescentes que completam 12 anos, 3,65 morrem vítimas de homicídio antes de chegar aos 19. A situação ainda é mais preocupante quando se observa que houve um aumento nesses índices em relação a 2013 e, que o valor de 2014 é o maior do  levantamento desde que começou a ser feito em 2005.

O Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) tem como referência o ano de 2014. E o risco de morte do adolescente leva em conta sexo, cor, idade e o meio utilizado para o homicídio homicídio. Pelo estudo, a região metropolitana de Teresina, que engloba treze municípios, incluindo Timon (MA), teve aumento na incidência de adolescentes.

No ranking do IHA, Teresina é a 8ª capital com risco de morte para adolescentes. O Piauí figura na sétima colocação, tendo o estado do Ceará na primeira colocação, seguido pelos estados
de Alagoas, Espirito Santo, Bahia , Rio Grande do Norte e Paraíba.


Fonte: Diário do Povo