15/10/2017 - 15:57

Festival de Rabecas muda realidade em escolas públicas de Bom Jesus

Um cortejo cultural percorreu as ruas de Bom Jesus, levando alegria por onde passava

Pouco mais de três dias de aula foram suficientes para revelar grandes talentos entre jovens de Bom Jesus. Eles participaram das dez oficinas do Circuito Cultura Viva que aconteceram em duas escolas da cidade. Os resultados, foram apresentados no palco do Queijinho, nesse sábado (14), último dia do X Festival de Rabecas de Bom Jesus. Antes disso, um cortejo cultural percorreu as ruas de Bom Jesus, levando alegria por onde passava.

Foto: Divulgação

O cortejo foi recebido pelo batuque do grupo Patubatê, de Brasília-DF, que também ministrou oficina de percussão para alunos da rede pública. “É a primeira vez que temos essa oportunidade dentro da escola. O teatro me ensinou a perder a vergonha e a interagir mais com meus colegas”, diz a estudante Maylane Duarte de 17 anos, que se apresentou junto com a turma da oficina de teatro ministrada pelo professor Adalmir Miranda.

No palco, em meio aos olhares atentos das crianças, um teatro de bonecos chamava a atenção e arrancava gargalhada do público. O hip hop, oficina ministrada por Francisco Machado, também se apresentou no Palco do Queijinho, assim como a dança, coreografada pelo professor Sidy Ribeiro, que não escondeu a emoção.

“Há talentos por toda parte e em Bom Jesus não seria diferente. Quando um gestor tem essa preocupação e essa visão privilegiada de trabalhar com arte ele oportuniza a esses jovens algo muito maior, ajuda a torna-los grandes homens e grandes mulheres. Tenho 30 anos de dança, já dei aula fora do país, tenho vários prêmios internacionais, mas o mais gratificante é ver essa meninada se interessar pela arte”, disse, abraçado pelos 60 alunos inscritos na oficina.

A praça também recebeu os brinquedos confeccionados durante a oficina do professor Wilson Cordeiro, que chamou a atenção para a importância de se frequentar a escola. “Mais de 30% de crianças e jovens da cidade não estão frequentando a escola. Não façam isso. Acreditem nos seus sonhos e no estudo”, afirmou.


Fonte: Ascom